A história das Cafe Racers

Assista à matéria no programa Duas Rodas News:

O mundo do motociclismo é extremamente vasto, com muitas opções de modelos e estilos, mas tem sempre aqueles que acabam chamando um pouco mais a atenção do público, e de alguns anos pra cá, especialmente pela moda do vintage, do retrô, em que estão sendo resgatadas antigas tradições e tendências, o estilo Cafe Racer ressurgiu com força total, conquistando uma legião cada vez maior de fãs e adeptos.

O Cafe Racer, assim como o motociclismo em geral, se tornou muito além de um simples estilo ou segmento de motos, virou em muitos casos um estilo de vida, que surgiu na Inglaterra entre as décadas de 1950 e 1960, uma época em que o país britânico ostentava um conservadorismo ainda mais intenso que o conhecido atualmente, chegando a ponto de restringir que seus jovens ouvissem o recém criado Rock and Roll.

Como refúgio e única forma que encontraram de se reunirem para ouvir e curtir a sua música os jovens “Roqueiros” ingleses adotaram os Cafes, que eram antigos restaurantes de beira de estrada, normalmente frequentados por caminhoneiros.

O Ace Cafe, em Londres, acabou se tornando o mais famoso e frequentado na ocasião, com uma fama que é mantida até hoje.

Lá eles encontravam as famosas Jukebox, as máquinas de músicas que até então eram a única forma que tinham de ouvir o Rock and Roll, e cada vez mais os Cafes foram se tornando pontos de encontro dos jovens.

Era nesses Cafes onde os jovens, conhecidos como “Rockers”, apostavam os rachas, as corridas de rua, com suas motocicletas. Nessa época os rachas eram novidade e não eram ilegais.

Tudo era feito na informalidade, afinal não eram pilotos profissionais, não havia equipes ou qualquer estrutura de competição, e eram os próprios motociclistas quem preparavam suas motocicletas. Envenenavam suas motos buscando aumentar a performance, na tentativa de superar as 100 mph, equivalente a 160 km/h, que era uma velocidade quase insuperável para as máquinas da época.

Com todo esse cenário montado, onde paixão pela velocidade tomava conta, os caminhoneiros, que frequentavam os Cafes bem antes dos jovens roqueiros, aproveitavam para desdenhar deles, alegando que jamais seriam verdadeiros pilotos de corridas, e nunca passariam de corredores de Cafe, daí surgindo o nome “Cafe Racers”.

As motocicletas mais comuns eram as Triumph, Norton e BSA, todas fábricas inglesas. Um ponto importante é que nesse período, por volta da década de 1960, as motocicletas estavam com preços bastante acessíveis e com sua popularidade crescendo vertiginosamente, se tornando, para muitos, um objeto de desejo.

Para as corridas valia qualquer tipo de preparação nas motos, e como as Norton eram consideradas melhores em termos de ciclística, enquanto que as Triumph exibiam melhores motores, os jovens roqueiros começaram a montar motores das Triumph em quadros das Norton, o que deu origem às legendárias “Triton” – com a junção dos nomes das montadoras.

Além das modificações mecânicas, estavam presentes, e foram ainda mais impactantes, as alterações estéticas, com mudanças no guidão, banco, carenagem, entre outras ações que acabaram montando e marcando a identidade visual das motos da época.

Trazendo para os tempos atuais, o estilo dessas clássicas motos de corridas de rua continua encantando especialmente pelo visual, sendo crescente o número de motociclistas aderindo e, em sua grande maioria, optando por montar com as próprias mãos, a sua Cafe Racer. Um resgate total da tradição.

Vendo o crescimento da popularidade das Cafe Racers, algumas marcas trazem modelos modernos com apelo estético que remete diretamente à inesquecível e marcante época do surgimento do estilo. A Triumph, por exemplo, oferece o modelo Thruxton, que já tive o prazer de testar e em breve você verá a matéria de avaliação aqui no Duas Rodas News.

O Cafe Racer está ligado diretamente à esportividade e tradições das motocicletas. Um estilo apaixonante, que marcou época, faz parte do presente e continuará pra sempre gravado na história do motociclismo.

Confira algumas fotos:

Autor: Eduardo Azeredo

770 stories / Procurar todas
Do Rio de Janeiro, há mais de 14 anos envolvido com o motociclismo, e atua como piloto de testes e jornalista motociclístico para diversos veículos de comunicação, em especial o Jornal Motocycle, Revista Torque, CarPoint News, entre outros, fazendo avaliações / testes de motocicletas e produzindo matérias a respeito do mundo duas rodas. Também apresentador do programa Duas Rodas News, na emissora Luau TV

Relacionadas »