Triumph Rocket III Roadster

Fotos: Eduardo Azeredo / Raphael Alo

A Triumph Rocket III Roadster é uma moto que já tem alguns bons anos de estrada, com uma história que começou no final da década de 60, e nesse seu tempo de existência está na sua terceira geração, acumulando uma bagagem de grandes evoluções, chegando a um nível de excelência surpreendente, oferecendo ao motociclista que a pilota um conjunto dotado de extrema qualidade em todos os aspectos, com destaque obviamente para o motor, proporcionando que a máquina faça jus ao nome Rocket, que significa foguete em inglês.

O motorzão é um três cilindros com 2.294 cc, isso mesmo, 2.294 cc, a maior cilindrada do mercado de motocicletas, desenvolvendo 148 cv de potência e assustadores 22,5 kgf.m de torque, com entrega já em 2.700 RPM. Trabalhando com eixo cardã, câmbio de 5 marchas e refrigeração líquida. Sem dúvida a Rocket merecia ter um controle de tração, o que iria facilitar muito em arrancadas mais fortes, mas claro, com opção de desligar, para não atrapalhar a diversão de quem quisesse sentir integralmente o despejo do motor.

Triumph Rocket III Roadster

Algumas versões anteriores do modelo vinham de fábrica com limitador eletrônico de potência e torque, para que não atingissem 100% de entrega nas três primeiras marchas, mas a Triumph optou por retirar o controle e liberar para que os pilotos da Rocket III pudessem botar o pneus para “cantar” nas arrancadas.

O consumo de combustível durante os testes foi interessante, compatível com seu desempenho, tendo médias entre 9,1 a 11,22 km/l no uso urbano e entre 8,86 e 15,23 km/l na estrada, variando de acordo com a tocada e situação de trânsito. Um consumo relativamente bom, tendo em vista seu tamanho e motor. A autonomia também é boa, devido ao tanque a capacidade é para 24 litros de gasolina.

O sistema de freios é muito eficaz e proporcional às medidas da Rocket III, trabalhando com disco duplo na dianteira e simples na traseira, vindo de fábrica com ABS, garantindo muita eficiência, mesmo em frenagens mais bruscas ou em pisos irregulares.

À primeira vista a máquina assusta também pelo seu porte bastante avantajado, mas mesmo com seus 367 kg de peso, abastecida, oferece ciclística fantástica, fazendo com que a pilotagem fique extremamente fácil e leve, apoiada por um conjunto de suspensão muito refinado e eficiente.

O conjunto de suspensão é um ponto de destaque do modelo, tendo garfo invertido na dianteira, duplo amortecimento na traseira, com ajuste de précarga, e bom curso de trabalho, atua com excelência no conforto, estabilidade e refinamento da ciclística.

Triumph Rocket III Roadster

Um fator bastante interessante na Rocket fica por conta do seu conjunto de embreagem, câmbio e transmissão. O eixo cardã trabalha com suavidade, sem os tradicionais trancos, comuns ao sistema, e o câmbio é tão afinado e trabalha tão liso que permite até a subida de marchas sem o uso da embreagem, que por sinal é leve, apesar da força bruta da máquina inglesa.

O seu design, robusto e imponente, tem, entre os vários atributos, o grande motor e escapamento duplo trabalhando como elementos estéticos, bastante evidenciados, aliados aos contrastes entre as partes pretas e os cromados, tendo um acabamento excelente, associado à linhas ao mesmo tempo agressivas e suaves. O farol duplo é mais um elemento de diferenciação e estilo do modelo, que chama atenção por onde passa, principalmente por não ser tão comum, dando um ar de exclusividade.

O painel de instrumentos é formado por dois mostradores analógicos separados, um de velocidade e outro de conta-giros, cada um com seu pequeno display digital, tendo hodômetros (total e parciais), relógio, indicadores do nível de combustível e de marchas, permitindo leitura fácil e rápida.

A ergonomia e posição de pilotagem são muito bem projetadas, permitindo bastante conforto tanto para os baixinhos quanto para os mais altos, inclusive a garupa. Os assentos são macios e confortáveis, possibilitando longas viagens com grande tranquilidade.

Quem acompanha o Duas Rodas News sabe que eu coloco as motos avaliadas, independente do modelo, em todas as situações possíveis para ela, e no caso da Rocket III afirmo que, por motivos óbvios, o uso urbano não é muito apropriado. Não é impossível, muito pelo contrário, dá para andar até para se arriscar nos corretores, mas em baixa velocidade o peso aparece, deixando a pilotagem cansativa.

Outro agravante que fica evidenciado no uso urbano é o forte calor passado pelo motor, sendo mais um fator de desgaste para o motociclista que se prestar a usar a Rocket na cidade. Além do calor vindo do motor, tem que tomar cuidado também com os escapamentos, que não são tão bem protegidos e mesmo uma garupa experiente corre o risco de ganhar uma queimadinha na perna, especialmente na hora descer ou subir na moto.

Definitivamente o seu habitat ideal é a estrada, onde o motociclista vai poder curtir plenamente o que a linda moto tem a oferecer. Nas curvas, por ser pesada, exige um pouco de esforço físico do piloto, mas mesmo assim se mostra excelente, tolerando um ângulo de inclinação bastante forte, com grande equilíbrio e segurança. Rodei muitas centenas de quilômetros com esse foguete e digo que é indiscutivelmente muito divertido pilotá-lo nas rodovias.

Quem quiser ter esta grande inglesa em suas mãos vai ter que desembolsar R$ 72.940,00, tendo como opções as cores preta metálica ou preta fosca.

Em resumo a Triumph Rocket III Roadster é uma moto com estilo completamente diferenciado, porte imponente, muito gostosa e fácil de pilotar, excelente para estrada, ideal para motociclistas que não estejam preocupados com economia de combustível, mas que busquem conforto, ótima ciclística, exclusividade e muito, mas muito desempenho.

Ficha técnica
MOTOR E TRANSMISSÃO
TIPO: Com refrigeração líquida, DOHC (Comando de válvulas duplo no cabeçote), 3 cilindros em linha
CILINDRADA: 2294 cilindradas
DI METRO: 101,6mm
CURSO: 94,3mm
ALIMENTAÇÃO: Injeção eletrônica multiponto sequencial com borboleta dupla e ligação progressiva nas borboletas principais
EXAUSTÃO: Ponteiras em aço inoxidável, catalisadores de grande volume, escapamentos cromados.
TRANSMISSÃO FINAL: Eixo
EMBREAGEM: Discos múltiplos, a banho de óleo
CAIXA DE C MBIO: 5 marchas
CAPACIDADE DE ÓLEO: 5,9L
SISTEMA DE TRANSMISSÃO E PAINÉIS DO CHASSI
QUADRO: Aço tubular, berço duplo
BRAÇO OSCILANTE: Duplo, de aço
RODA DIANTEIRA: Liga de alumínio injetado, 5-raios, 17 x 3,5 polegadas
RODA TRASEIRA: Liga de alumínio injetado, 5-raios, 16 x 7,5 polegadas
PNEU DIANTEIRO: 150/80 R17
PNEU TRASEIRO: 240/50 R16
SUSPENSÃO DIANTEIRA: Garfo invertido KYB 43 mm, curso de 120 mm
SUSPENSÃO TRASEIRA: Amortecedores duplos com molas pretas Kayaba com pré-carga ajustável em 5 posições, curso da roda traseira de 105mm
FREIO DIANTEIRO: Discos duplos flutuantes de 320mm, com pinças de quatro pistões Nissin, com sistema ABS
FREIO TRASEIRO: Disco único flutuante de 316mm da Brembo, pinça de dois pistões, com sistema ABS
PAINEL DE INSTRUMENTOS E FUNÇÕES: Velocímetro analógico com odômetro em LCD, informações da percurso, relógio, tacômetro analógico, indicadores do nível de combustível e posição das marchas
DIMENSÕES E CAPACIDADES
COMPRIMENTO: 2500 mm
LARGURA: 970 mm
ALTURA SEM ESPELHO: 1165 mm
SEAT HEIGHT: 750 mm
DIST NCIA ENTRE EIXOS: 1695 mm
INCLINAÇÃO: 32˚
TRAIL: 148mm
CAPACIDADE DO TANQUE: 24l
PESO LÍQUIDO: 367 kg
PESO SECO: 334 kg
PERFORMANCE
POTÊNCIA MÁX.: 148 cv @ 5750 RPM
TORQUE MÁX.: 221 Nm @ 2750 RPM

Autor: Eduardo Azeredo

770 stories / Procurar todas
Do Rio de Janeiro, há mais de 14 anos envolvido com o motociclismo, e atua como piloto de testes e jornalista motociclístico para diversos veículos de comunicação, em especial o Jornal Motocycle, Revista Torque, CarPoint News, entre outros, fazendo avaliações / testes de motocicletas e produzindo matérias a respeito do mundo duas rodas. Também apresentador do programa Duas Rodas News, na emissora Luau TV

Relacionadas »