Kawasaki Versys 1000 ABS 2013

A Kawasaki deu uma cartada de mestre desenvolvendo esta moto que mescla a motorização e os prazeres de uma superesportiva com os benefícios de uma big-trail, proporcionando uma máquina de porte e beleza bastante diferenciados e que oferece extremo conforto e versatilidade, seja para uma ida à padaria da esquina ou para uma longa expedição.

Nos quase 40 dias em que estive avaliando a Versys 1000, tive a oportunidade de colocá-la nos mais diversos tipos de situação, indo desde estradas até off-road, passando por autódromo e principalmente dia-a-dia no trânsito com as ruas esburacadas do Rio de Janeiro. Em sua configuração original o comportamento para uso off-road não é satisfatório, especialmente pelo tamanho das rodas e pelos pneus esportivos, mas em compensação nas estradas e na pista ela dá show, com ciclística fantástica e muita potência que a permitem andar junto com superesportivas. Na rotina de uma cidade grande não tive dificuldades, apesar do seu porte bem avantajado.

Enquadrada no estilo chamado maxi-trail, a Versys 1000 vem com um enorme diferencial frente à concorrência por estar equipada com motor 1.043cc de 4 cilindros paralelos, o mesmo das “irmãs” Z1000 e Ninja 1000, com algumas adaptações para melhor se enquadrar a proposta do modelo, gerando potência máxima de 118cv e 10,4 kgf·m de torque. Sua entrega de potência é controlada em 2 estágios (low, com 75%, e full, com 100% de entrega) que permitem ao piloto deixá-la mais “mansa” para uso diário, por exemplo, ou deixar a fera solta, capaz de superar os 200km/h com assustadora facilidade.

Graças ao seu motor de 4 cilindros esta máquina não tem o incômodo da vibração e ruído, o que acaba sendo mais um benefício agregado no quesito conforto, quesito este onde tanto piloto quanto garupa são muito bem atendidos. A ergonomia é excelente, com ótimo posicionamento de pernas. Somente motociclistas de menor estatura que podem sentir algum desconforto por causa do guidão muito largo.

O design dessa 1000 é um capítulo à parte devido ao seu grande porte e composição, vindo com conjunto ótico bem diferenciado, carenagem com linhas agressivas, e o conjunto de motor, chassi e demais componentes estruturais que acabam atuando como elementos de design, dando ainda mais robustez e imponência à máquina. O parabrisa, além de compor o visual é totalmente funcional, no tamanho ideal e com regulagem prática de altura, que pode ser feita manualmente, sem necessidade de ferramentas.

Outra característica muito importante é a tecnologia embarcada de segurança, pois conta com sistema de controle de tração (KTRC, idêntico ao da ZX-14R) em 3 níveis de ajuste, sistema extremamente eficiente de freios ABS, que em conjunto proporcionam uma pilotagem tranquila mesmo em pista molhada. O conjunto de suspensão conta com múltiplas regulagens, permitindo um refinado ajuste de acordo com as preferencias do motociclista e as necessidades do terreno.

Com tanque de 21 litros e bom consumo, trabalhando na faixa dos 17km/l, dependendo logicamente do ajuste de potência e da forma de pilotagem, a autonomia é muito boa, permitindo trajetos mais longos sem se preocupar com paradas de abastecimento.

Seu belo painel é bastante completo e de fácil leitura, com destaque para o grande conta-giros analógico e todos os demais instrumentos em módulos digitais. Destaque também para o indicador “eco” no painel digital, que informa ao piloto quando está na faixa econômica de giro (RPM), onde o consumo de combustível é menor.

Uma fator que me impressionou muito foi a segurança em curvas. Com ciclística excepcional, que a torna uma moto muito fácil de pilotar, o ângulo de inclinação alcançado é impressionante, quase comparável ao das superesportivas, tudo com total firmeza, mesmo em pistas com irregularidades.

Infelizmente não há opções de cor, limitando apenas à cor branca (Pearl Stardust White), e para levar essa belezinha para a estrada o preço público sugerido (sem frete incluso) é de R$ 49.990,00. Um verdadeiro investimento, tendo em vista todo o conjunto tecnológico oferecido em uma motocicleta que mescla muito conforto, segurança e potência, o que a caracteriza em termos de custo-benefício como uma das melhores de todo o mercado duas rodas brasileiro na atualidade.

Ficha técnica:

Motor: 4 tempos, 4 cilindros paralelos, refrigeração líquida
Cilindrada: 1.043 cc
Diâmetro x curso: 77,0 x 56,0 mm
Taxa de compressão: 10,3:1
Sistema de válvulas: DOHC, 16 válvulas
Potência máxima: 86,8 kW (118CV) / 9.000 rpm
Torque máximo: 102 N·m (10,4 kgf·m) / 7.700 rpm
Sistema de combustível: Injeção eletrônica
Sistema de ignição: Digital
Sistema de partida: Partida elétrica
Sistema de lubrificação: Lubrificação forçada (cárter semiúmido)
Transmissão: 6 velocidades
Sistema de acionamento: Corrente de transmissão
Relação de redução primária: 1,627 (83/51)
Relação da 1ª marcha: 2,692 (35/13)
Relação da 2ª marcha: 1,950 (39/20)
Relação da 3ª marcha: 1,529 (26/17)
Relação da 4ª marcha: 1,304 (30/23)
Relação da 5ª marcha: 1,136 (25/22)
Relação da 6ª marcha: 0,958 (23/24)
Relação de redução final: 2,867 (43/15)
Sistema de embreagem: Multidisco, em banho de óleo
Tipo de quadro: Alumínio
Inclinação / Trail: 27° / 107 mm
Suspensão dianteira: Garfo telescópico invertido de 43 mm com retorno e pré-carga da mola ajustáveis
Suspensão traseira: Monoamortecedor com retorno e pré-carga da mola ajustáveis
Curso da suspensão dianteira: 150 mm
Curso da suspensão traseira: 150 mm
Pneu dianteiro: 120/70ZR17M/C (58W)
Pneu traseiro: 180/55ZR17M/C (73W)
Freio dianteiro: Disco duplo de 300 mm em formato margarida, pinça com pistão duplo
Freio traseiro: Disco simples de 250 mm em formato margarida, pinça com pistão simples
Ângulo de direção (esq. / dir.): 34° / 34°
Dimensões C x L x A: 2.235 mm x 900 mm x 1.405 mm / 1.430 mm
Distância entre eixos: 1.520 mm
Distância do solo: 155 mm
Altura do assento: 845 mm
Capacidade do tanque: 21,0 litros
Peso em ordem de marcha: 239 kg
Cor: Pearl Stardust White

Autor: Eduardo Azeredo

770 stories / Procurar todas
Do Rio de Janeiro, há mais de 14 anos envolvido com o motociclismo, e atua como piloto de testes e jornalista motociclístico para diversos veículos de comunicação, em especial o Jornal Motocycle, Revista Torque, CarPoint News, entre outros, fazendo avaliações / testes de motocicletas e produzindo matérias a respeito do mundo duas rodas. Também apresentador do programa Duas Rodas News, na emissora Luau TV

Relacionadas »