Harley-Davidson XR1200X

Pilotar essa moto me trouxe uma sensação muito especial. A Harley-Davidson XR1200X faz o piloto se sentir em uma daquelas motocicletas de corrida da década de 60, com um seu design bastante arrojado, motor todo preto com detalhes cromados, e sua potência que pode ser diretamente sentida, por seu ronco forte e vibração do motor.

Esta é definitivamente uma moto bem diferenciada. A começar por seu estilo, pois ela foge totalmente ao tradicional custom de suas “irm㔠de marca. A posição de pilotagem é ótima. Até mesmo para mim, que sou bem alto, com 1,95m, tudo se encaixou perfeitamente, pois tive extremo conforto para braços e pernas. Para o carona o banco é pequeno, mas a posição é confortável e segura.

Uma fera que requer perícia do piloto para domá-la, por ter muito motor em uma estrutura não muito adequada à alta performance, especialmente em curvas. O motor que a impulsiona, um Evolution 1202cc, refrigerado a ar, com 2 cilíndros em V, gerando cerca de 90 cv, enche com uma facilidade incrível, tornando o ganho de velocidade algo simples e rápido. Me transmitiu a sensação de estar em uma moto dragster, com excelente performance, muito torque, rendendo muito em curto intervalo de tempo.

Para parar todo esse desempenho, a máquina vem equipada com um belo sistema de freios, de disco duplo na dianteira e disco simples na traseira, que cumprem muito bem o seu trabalho. Fiz questão de usar e abusar do equipamento em condições gradativas e bruscas, tendo boas respostas em todos os casos.

Todo o seu sistema de suspensão é regulável, permitindo o melhor ajuste de compressão, de acordo com as preferências do piloto e necessidades do ambiente onde estiver sendo utilizada.

Uma fator que me incomodou um pouco pilotando essa moto é o calor gerado pelo motor, que é clara e diretamente sentido nas pernas. Pilotá-la na cidade, no trânsito, se torna um certo transtorno, mas na estrada, com o vento batendo, e a refrigerando, é uma delícia.

Em curvas o piloto deve ter muita atenção, pois como é uma moto de alta performance, a tendência natural é querer curvar como as tradicionais esportivas, mas é aí que mora o perigo. Devido a sua estrutura, a tolerância de inclinação da XR1200X é baixa, o peso é alto, e a probabilidade de, se exagerar, perder o controle, é grande. Ela exige um pouco de esforço nas curvas, necessitando de que o motocicliste use do contra-esterço com um pouco mais de intensidade, para firmar melhor o desenho das curvas e mantê-la estável.

Apesar de sua grande motorização, trata-se de uma moto relativamente econômica, fazendo cerca de 19,5km/l na estrada e 14km/l na cidade. Com seu tanque de 13.3 litros, de design inspirado na clássica XR 750, o condutor tem boa autonomia para trajetos mais longos.

Para ter essa bela motocicleta em sua garagem, o motociclista deverá desembolsar o valor de R$34.600,00, sugerido pela H-D, e poderá escolher entre as cores Black Denim (preta fosca) e White Hot Denim (branca fosca). Já vem equipada com sistema de bloqueio automático hands-free, por afastamento, que desativa e ativa as funções de segurança da moto.

Em um contexto geral, é uma moto para amantes do motociclismo esportivo clássico. Uma máquina belíssima, repleta de tecnologia, segura, veloz, que encanta quem a vê, quem ouve seu delicioso ronco e quem a pilota. Curtir uma estrada a bordo da XR1200X é garantia de uma sensação única e inesquecível.

Ficha técnica:

DIMENSÕES
Comprimento: 2.225 mm
Altura do Assento, Carregada 1742 mm
Altura do Assento, Descarregada795 mm
Distância do Solo: 150 mm
Ângulo da Coluna de Direção (Graus): 28.9
Trail: 132 mm
Distância entre Eixos: 1.515 mm
Pneu Dianteiro (Especificação): 120/70ZR18 59W
Pneu Traseiro (Especificação): 180/55ZR17 73W
Capacidade de Combustível: 13,3 l
Capacidade de Óleo (com filtro): 2,6 l
Peso Seco: 250 kg
Peso em Ordem de Marcha: 260 kg

MOTORIZAÇÃO
Motor 2 Evolution®, Refrigerado a ar
Diâmetro do Pistão: 88,9 mm
Curso do Pistão: 96,8 mm
Cilindrada: 1.202 cm³
Relação de Compressão: 10.0:1
Sistema de Alimentação de Combustível: Injeção Eletrônica de Combustível por Porta Sequencial (ESPFI)

TRANSMISSÃO
Transmissão Primária: Corrente, relação 57/34
Relação de Transmissão – 1a marcha: 10.782
Relação de Transmissão – 2a marcha: 7.702
Relação de Transmissão – 3a marcha: 5.728
Relação de Transmissão – 4a marcha: 4.748
Relação de Transmissão – 5a marcha: 4.071
Relação de Transmissão – 6a marcha: N/A

CHASSI
Escapamento: Preto, reto e inclinado para cima. Sistema de de alta performance com silenciadores duplos
Roda Dianteira (Estilo): Preta, 3 raios de liga de alumínio com contorno laranja
Roda Traseira (Estilo): Preta, 3 raios de liga de alumínio com contorno laranja
Freios (Tipo de Cáliper): Disco duplo com 4 pistões na dianteria, pistão simples e disco simples na traseira

PERFORMANCE
Torque do Motor – Método de Teste: EEC/95/1
Torque do Motor: 310,2 kgf.m
Torque do Motor (rpm): 3700
Ângulo de Inclinação, Dir. (Graus): 39
Ângulo de Inclinação, Esq. (Graus): 40

ELÉTRICA
Luzes Indicadoras: Farol alto, ponto neutro, baixa pressão de óleo, luzes indicadoras de direção, diagnóstico do motor, alerta de baixo nível de combustível e sistema de segurança
Painel de Instrumentos: Conjunto especialmente desenhado com velocímetro digital compacto e amplo conta-giros analógico com hodômetro total, relógio e hodômetro parcial duplo

1. A medição reflete um motociclista com peso de 82 kg.
2. Recomenda-se combustível com octanagem 91 ou superior.
3. Os valores mostrados são nominais. O desempenho pode variar de acordo com o país e a região.

Autor: Eduardo Azeredo

770 stories / Procurar todas
Do Rio de Janeiro, há mais de 14 anos envolvido com o motociclismo, e atua como piloto de testes e jornalista motociclístico para diversos veículos de comunicação, em especial o Jornal Motocycle, Revista Torque, CarPoint News, entre outros, fazendo avaliações / testes de motocicletas e produzindo matérias a respeito do mundo duas rodas. Também apresentador do programa Duas Rodas News, na emissora Luau TV

Relacionadas »