Repórter fotográfico brasileiro cobre Rally Dakar a bordo de motocicleta

O Rally Dakar 2014 serve de plano de fundo para inúmeras aventuras, e não apenas as vividas pelos competidores que encaram o maior desafio off-road do planeta. Idário Café, repórter fotográfico brasileiro, é um dos que terá muitas histórias para contar após o término da disputa, marcado para o dia 18 de janeiro em Valparaíso, no Chile. Após rodar mais de 12 mil quilômetros por estradas do Brasil, Argentina e Bolívia, além do Chile, ele planeja retornar ao país no próximo dia 21. De moto, é claro.

Café é referência no motociclismo, já que cobre as principais provas do calendário mundial há duas décadas. Nos últimos cinco anos, o repórter fotográfico acompanhou o Rally dos Sertões de motocicleta, iniciativa pioneira na competição. “Após o Sertões 2013, comecei a planejar a ida para o Rally Dakar. Sempre quis estar na prova aqui na América do Sul, e de preferência de moto. A Honda do Brasil já era minha parceira no Sertões e apoiou o novo desafio, viabilizando o empréstimo de uma VRF 1200X e toda a documentação necessária”, contou o profissional.

Com tudo pronto, ele logo foi para a estrada. “A viagem começou após a virada do ano, às seis da manhã do dia 1º de janeiro, quando fui de São Paulo até Foz do Iguaçu (PR) debaixo de muita chuva. De lá, segui para Rosário, na Argentina, local da largada do Dakar no último dia 5, e comecei a seguir o percurso da prova, que é formada por cerca de nove mil quilômetros”, relatou Café. Com inúmeras belas imagens na bagagem, o repórter fotográfico chegou no Chile com sete mil quilômetros cumpridos em seu hodômetro. Ele saiu de Calama nesta terça-feira com direção a Iquique para mais um dia de trabalho.

“Diariamente vou até os pontos sugeridos pela organização do Dakar para os espectadores conferirem a passagem dos veículos. Além de fotografar a prova, busco retratar toda a atmosfera que envolve este gigantesco evento, como a movimentação das cidades e fãs”, continuou Café, ressaltando alguns detalhes da viagem. “Acabamos de passar pela Bolívia e o famoso Salar de Uyuni, o maior deserto de sal do mundo e certamente o local mais exótico do roteiro. O calor intenso marcou a primeira semana do Dakar e foi decisivo nas disputas. Agora a temperatura desceu, com direito a chuva, e as paisagens mudaram. Temos muito ainda pela frente até a rampa de chegada em Valparaíso.”

Sobre o equipamento utilizado na viagem, Café não teve imprevistos. “A Honda VRF 1200X é uma big trail e está se comportando de maneira exemplar e impecável. É confortável, segura e, graças ao excelente combustível que é vendido na Argentina, conquistou autonomia superior aos 350 quilômetros com um tanque. Nestes dias de muita estrada de terra, que incluíram a passagem pelo Salar de Uyuni, optei pelos pneus Metzeler Karoo 3, ideal para o terreno”, concluiu.

Fonte: Mundo Press

Autor: Eduardo Azeredo

770 stories / Procurar todas
Do Rio de Janeiro, há mais de 14 anos envolvido com o motociclismo, e atua como piloto de testes e jornalista motociclístico para diversos veículos de comunicação, em especial o Jornal Motocycle, Revista Torque, CarPoint News, entre outros, fazendo avaliações / testes de motocicletas e produzindo matérias a respeito do mundo duas rodas. Também apresentador do programa Duas Rodas News, na emissora Luau TV

Relacionadas »