Dinamômetro, vulgo dyno, para que serve?

É muito comum os motociclistas desejarem dar uma “apimentada” no desempenho de suas máquinas, indo desde ajustes leves, como por exemplo, a colocação de um filtro esportivo, passando pela instalação de um escapamento dimensionado e mapeamento de injeção eletrônica, ou partindo para mexidas mais drásticas com alterações no motor etc. São muitas as possibilidades, mas depois de tudo isso feito ficam algumas dúvidas: Realmente a potência aumentou? Com quantos cavalos ficou? O torque aumentou? Entre muitas outras questões.

Nessa hora entra em cena um grande aliado das preparações, tanto para motos quanto para carros, que é o dinamômetro. Muita gente se pergunta sobre o que é este equipamento e pra quê efetivamente ele serve. Aproveito agora para esclarecer algumas dúvidas a respeito.

Um dinamômetro é capaz, essencialmente, de medir a potência e torque de um motor, fornecendo aos mecânicos, preparadores e demais profissionais uma visão “ampliada” sobre o comportamento do motor, e da moto em si, possibilitando ir direto ao ponto, seja na preparação de um motor ou mesmo na solução de problemas. Há diversas outras funcionalidades para um dinamômetro, como por exemplo, testes de injeção eletrônica e sistemas envolvidos, detecção de vibrações na estrutura, testes nos instrumentos do painel etc. Sempre gerando uma série de gráficos e resultados que municiarão os profissionais na busca de soluções e aprimoramentos.

“Um dyno conta com acessórios que medem a potência do motor, potência na roda em HPs e torque, e Sonda Lambda WideBand, que através destes dados o preparador consegue base suficiente para montar um mapa de injeção ou até mesmo para a preparação do motor”, como diz Alex Pires, responsável pela oficina Center Moto e piloto do brasileiro de motovelocidade.

Segundo Alex Pires, o equipamento é indicado para qualquer motocicleta, independente de modelo, estilo ou cilindrada. E completa afirmando: “Quando o preparador achar necessário no caso de motos de corrida, ou em caso de instalar algum acessório de mapeamento de injeção, escapamento ou até mesmo para simulação de velocidade final”.

Na época da produção desta matéria, eu estava no período de avaliação da Kawasaki Ninja ZX-14R 2013, uma das máquinas mais cobiçadas e velozes do mundo, e aproveitando o embalo ela foi direto para o dinamômetro da oficina Center Moto, no bairro de Botafogo, Rio de Janeiro, para fazer as aferições de potência e velocidade.

O momento despertou curiosidade de várias pessoas, que cercaram a cabine de testes à espera do ronco e dos números finais. Os resultados foram fantásticos e tive uma grata surpresa na medição da potência, onde obtivemos 213cv, que está acima do declarado pela Kawasaki, e na velocidade máxima foram superados os 300km/h, com grande facilidade.

Você que tem curiosidade de ver o máximo do desempenho de sua moto, coloque sua máquina em um dyno e confira os resultados.

Veja o vídeo da matéria:

Autor: Eduardo Azeredo

770 stories / Procurar todas
Do Rio de Janeiro, há mais de 14 anos envolvido com o motociclismo, e atua como piloto de testes e jornalista motociclístico para diversos veículos de comunicação, em especial o Jornal Motocycle, Revista Torque, CarPoint News, entre outros, fazendo avaliações / testes de motocicletas e produzindo matérias a respeito do mundo duas rodas. Também apresentador do programa Duas Rodas News, na emissora Luau TV

Relacionadas »