Honda lança no mercado brasileiro as novas CBR 650F e CB 650F

Dois lançamentos, que representaram um dos maiores destaques no 71º Salão de Milão de 2013, passam a ser comercializados também no Brasil. Tratam-se da street fighter naked CB 650F e da esportiva CBR 650F, que serão produzidas na fábrica da Moto Honda da Amazônia, em Manaus (AM). Como resultado, a empresa se reposiciona no segmento e passa a oferecer produtos com novos conceitos, mais modernos e com alta tecnologia, em sintonia com o mercado atual de motocicletas nessa faixa específica de cilindrada.

Tanto a CB 650F quanto a CBR 650F simbolizam uma verdadeira evolução na categoria, com produtos totalmente novos, que não compartilham nenhuma característica técnica com outra motocicleta da marca disponível no mercado brasileiro. Desde o início, o desenvolvimento do projeto esteve voltado a um novo produto para atender aos consumidores mais jovens, que não abrem mão de desempenho e design moderno e buscam preços mais acessíveis. Com foco na esportividade e facilidade de pilotagem, o desafio foi criar um estilo ousado e atraente, além de iniciar um novo capítulo no line up oferecido pela marca nessa faixa de cilindrada.

O desenvolvimento das novas CB 650F e CBR 650F ficou sob a responsabilidade de uma equipe formada por jovens engenheiros da Honda. Do chassi ao motor, os modelos trazem uma proposta totalmente diferenciada. Devem despertar a atenção de motociclistas das categorias street e esportiva, além de representar uma ótima opção de upgrade do segmento de 500 cm³.
As características técnicas também beneficiam o piloto novato, recém-saído da faixa de cilindrada entre 250 e 300 cm³, uma vez que todo o conjunto tem tecnologia mecânica e ciclística mais simples e compacta, adequadas para o uso diário em grandes cidades ou estradas.

Conceito inovador

A tradição da Honda com as primeiras versões da linha CB, equipadas com os lendários motores de quatro cilindros da década de 1970, ou mesmo nas versões superesportivas de competição, representou uma receita de sucesso que também contribuiu para a criação dos modelos lançados agora no Brasil.

Todo esse legado serviu de inspiração para um projeto sem precedentes, iniciado totalmente do zero. Seu desenvolvimento teve como base pesquisas e desenvolvimento de novas tecnologias, adequações à atual legislação ambiental, além de padrões conceituais mais alinhados às atuais necessidades do consumidor brasileiro.

Desempenho e conforto

O motor é um dos principais destaques e compartilhado em ambas as versões. Totalmente novo, possui quatro cilindros em linha, com sistema DOHC (Double Over Head Camshaft), duplo comando de válvulas no cabeçote, 649 cm³ de capacidade, arrefecido a líquido. A potência máxima é de 87 cv a 11.000 rpm com torque de 6,4 kgf.m a 8.000 rpm. O câmbio é de seis velocidades, com a transmissão final feita por corrente.

Econômico, versátil e compacto, oferece força e torque em qualquer rotação, mas com respostas mais suaves para o piloto, especialmente até os 4.000 rpm, característica que irá facilitar deslocamentos com tráfego intenso ou em baixas velocidades. Neste sentido, sua concepção também considerou o desempenho na faixa acima dos 6.000 rpm, para pilotagem em vias mais rápidas. O objetivo foi assegurar uma condução mais eficiente, principalmente em velocidades de cruzeiro em estradas.

Simples e inovadora, a estrutura mecânica foi concebida com dutos internos no motor para passagem de água e fluidos. A proposta foi eliminar mangueiras externas e dar um visual mais limpo e moderno. Outro ponto de destaque é o posicionamento do filtro e radiador de óleo, alocados em posições estratégicas que permitiram um visual mais clean, além da utilização de um escapamento lateral com ponteira curta e esportiva.

A taxa de compressão do motor é de 11.4:1, com diâmetro e curso dos pistões em 67 x 46mm. Fabricados com a tecnologia Computer Aided Engineering (CAE), trabalham agora de forma a minimizar o atrito graças à assimetria de suas saias, que reduz o contato com o interior do cilindro e garante uma melhor transferência de calor.

Concebida sob a mesma tecnologia, a câmara de combustão também recebeu tratamento especial, com componentes revestidos em vanádio (tipo especial de aço inoxidável, formado pela combinação de diferentes ligas) para melhorar a performance. Pequenas fissuras para respiração na parede interna do cárter durante o movimento dos cilindros auxiliam na melhora do desempenho, reduzindo perda de força no bombeamento em rotações mais altas. Outra novidade é o sistema de indução que regula o fluxo de ar do motor. Sua função é melhorar o torque em acelerações mais bruscas.

Eficiente e moderno, o propulsor conta com injeção eletrônica PGMF-I (Programmed Fuel Injection) de última geração, com quatro sensores no corpo da borboleta, responsáveis por uma leitura mais precisa. Além disso, a programação no mapeamento eletrônico foi otimizada. Em conjunto, os dois sistemas resultam em economia de combustível e baixa emissão de poluentes. A nova linha 650cc já está em conformidade com o Promot 4 – Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares no Brasil.

Design arrojado e equilíbrio ciclístico

Com as novas CB 650F e CBR 650F, a Honda espera também atender seu público-alvo na faixa formada por consumidores com menos experiência ou aos que preferem deslocamentos mais tranquilos, com conforto e segurança.

Para isso, além de uma arquitetura mecânica moderna, seu conjunto ciclístico foi projetado para oferecer um modelo menos arisco nesta faixa de cilindrada. A ideia foi seguir uma tendência de mercado mundial, com a proposta de um conceito totalmente novo, um conjunto simplificado e acessível, mas com desempenho e qualidade presentes em outras motocicletas da Honda comercializadas no exterior.
Em comum, a CB 650F e a CBR 650F compartilham a mesma base. As diferenças são mínimas e basicamente visuais, mas presentes principalmente em razão do apelo mais esportivo com o uso de carenagens na CBR. Neste ponto, destaque apenas em suas dimensões e guidões. Na CB 650F, as medidas são de 2110mm x 775mm x 1120mm para comprimento, largura e altura, respectivamente; já na CBR 650F os valores são de 2110mm x 755mm x 1145mm. Outra diferença está no semi-guidão, presente apenas na CBR, que traz um visual diferenciado, mais agressivo.

Painel completo

Os painéis dos dois modelos compartilham a mesma instrumentação, com indicação de velocímetro, tacômetro e relógio digitais, medidor gráfico de combustível, hodômetros parcial e total, além de avisos luminosos sobre o funcionamento elétrico dos componentes. Em ambas, o tanque de combustível é amplo e tem capacidade de 17,3 litros, que garante excelente autonomia.
O grupo óptico segue protegido por semicarenagens, com para-brisa incorporado à CBR 650F. Os faróis estão equipados com lâmpadas de 55w.

O quadro nas duas motocicletas é em aço e do tipo Diamond, com ótima rigidez, que fixa o motor em um posicionamento levemente adiantado, como forma de distribuir melhor o peso e proporcionar um equilíbrio dinâmico mais eficiente. Um dos pontos mais explorados pela engenharia Honda nas novas CB 650F e CBR 650F foi justamente manter o equilíbrio ao buscar uma centralização de massas eficaz para todo o conjunto.

Os bancos possuem dois níveis, revestidos em espuma macia, que garantem conforto, melhor postura e facilidade na pilotagem. A rabeta curta segue uma padronização com design moderno e arrojado. Aliás, as formas compactas da parte mecânica e ciclística foram bem exploradas no desenvolvimento do projeto e muito bem adequadas. O resultado pode ser conferido no desempenho, com ótimas respostas em curvas nas duas versões.

Nos dois modelos, a balança traseira é do tipo monochoque em alumínio fundido. Seu desenho inovador apresenta uma forma curvilínea sobre o silenciador, à direita, com componentes forjados, sem utilização de solda. Totalmente ajustável e com curso de 43,5mm, permite sete estágios de configuração na pré-carga da mola. As rodas traseiras, nos dois modelos, são de 17 polegadas e equipadas com pneus180/55-ZR17M/C. O sistema de freio possui disco com diâmetro de 240mm e cáliper simples.

Na dianteira, a suspensão de ambas apresenta garfo telescópico convencional de 41mm, com curso de 120mm. As rodas são de 17 polegadas e pneus 120/70-ZR17M/C. O freio tem dois discos duplos de 320mm, com cáliper duplo. Os modelos contam com versão equipada com sistema ABS (Anti-lock Brake System), que garante segurança e grande eficiência em situações adversas de pilotagem. Outro item presente nas duas versões é o sistema H.I.S.S. (Honda Ignition Security System), que dificulta a possibilidade de furto ou roubo. Com essa tecnologia, somente a chave original pode acionar o motor por meio da leitura de um chip eletrônico.
A CB 650F estará disponível nas cores preta (STD e ABS) e tricolor – branca, azul e vermelha – (ABS), inspirada no Team HRC. Já a CBR 650F será oferecida na cor vermelha (STD e ABS) e branca (ABS). Os preços públicos são: CB 650F R$ 28.990,00 (STD) / R$ 31.190,00 (ABS) / R$ 31.690,00 (ABS Team HRC) e CBR 650F R$ 30.690,00 (STD) / R$ 32.890,00 (ABS), base estado de São Paulo, sem despesas com frete e seguro. Os modelos têm garantia de um ano, sem limite de quilometragem.

Fonte: Honda (Linkpress Assessoria e Comunicação)

Autor: Eduardo Azeredo

770 stories / Procurar todas
Do Rio de Janeiro, há mais de 14 anos envolvido com o motociclismo, e atua como piloto de testes e jornalista motociclístico para diversos veículos de comunicação, em especial o Jornal Motocycle, Revista Torque, CarPoint News, entre outros, fazendo avaliações / testes de motocicletas e produzindo matérias a respeito do mundo duas rodas. Também apresentador do programa Duas Rodas News, na emissora Luau TV

Relacionadas »